Alimentação, CUIDE-SE

Dieta AIP pode ajudar no controle de doenças autoimunes. Saiba o que é, e como fazer.

Você já ouviu falar na Dieta AIP? Mais conhecida como O Protocolo Autoimune (AIP – Autoimmune Protocol), é um tipo de dieta que visa atenuar a inflamação, a dor e muitos outros sintomas de doenças autoimunes, tais como a doença inflamatória intestinal, doença celíaca, lúpus entre outras. Conheça um pouco mais sobre este modelo de alimentação.

O que são doenças autoimunes?

Um sistema imunológico saudável, produz anticorpos que atacam células estranhas ou prejudiciais em seu corpo. No entanto, em pessoas com doenças autoimunes, o sistema imunológico tende a produzir anticorpos que, em vez de combater infecções, atacam células e tecidos saudáveis causando uma série de patologias como as citadas acima, além de diabetes, psoríase, artríte reumatóide entre outras mais.

Sintomas de doenças autoimunes

As disfunções autoimunes, mesmo quando tratadas, apresentam sintomas comuns, como: dor nas articulações, fadiga, dor abdominal, diarréia, danos nos nervos e confusão mental.

Apesar da sua origem ser multifatorial, englobando fatores genéticos e ambientais (tais como, infecção, estresse, inflamação e uso de medicamentos), uma hipótese está associada a danos à barreira intestinal (conhecida como Leaky gut, em inglês), a síndrome do intestino permeável. Que consiste na passagem de substâncias indevidas e que estão em excesso no intestino, para o resto do organismo. 

Isso pode ser ocasionado pelo consumo de alguns alimentos, entre outros fatores.

O que é a Dieta AIP?

O Protocolo Autoimune (AIP) consiste na eliminação de certos alimentos da sua dieta durante várias semanas e na substituição desses alimentos por opções mais nutritivas, que ajudam a reparar o intestino e a promover o equilíbrio da sua microbiota intestinal.

O objetivo é o de observar os efeitos que essas substituições alimentares podem causar na sua saúde, principalmente se você tiver alguma doença autoimune.

Um exemplo é a eliminação de produtos que contém glúten ou lactose, já que muitas vezes são eles que causam respostas imunológicas anormais em pessoas intolerantes a estas proteínas.

A dieta AIP é semelhante a PALEO, com eliminação e substituição de alimentos, sendo considerada uma extensão dessa dieta, porém, mas rígida.

Eliminar e reintroduzir

Como funciona a Dieta AIP?

O Protocolo Autoimune funciona, sinteticamente, em fases de eliminação de certos alimentos e na reintrodução dos mesmos.

Fase de eliminação

Nessa fase, são também retirados medicamentos que possam estar causando inflamação intestinal ou desequilíbrios da microbiota intestinal. Além de produtos e alimentos que podem causar alergias e reações indesejadas, como:

  • Cereais (ex.: arroz, aveia, centeio…)
  • Leguminosas (ex.: feijão, grão-de-bico, lentilhas…)
  • Oleaginosas (amendoim, castanha-de-cajú, nozes…)
  • Sementes (ex.: centelho, milho…)
  • Vegetais solanáceos (ex.: batata, tomate…)
  • Ovos
  • Laticínios
  • Óleos vegetais
  • Aditivos alimentares
  • Açúcares refinados e processados
  • Café
  • Álcool
  • Tabaco
  • Produtos processados
  • Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como Ibuprofeno, Naproxeno, Diclofenaco e Aspirina em altas doses.

Você agora deve estar pensando: “mas o quê vou comer?”.

Selecionar os alimentos

Calma, no lugar destes alimentos, você deve consumir produtos frescos e ricos em nutrientes. Além de alimentos fermentados ou com algum teor de probióticos.

Além da alimentação, deverá melhorar o seu estilo de vida através de atividades físicas, relaxamento e melhorar a sua qualidade de sono.

Lei aqui sobre os Benefícios da meditação para a sua saúde. E dicas para melhorar a sua noite de sono.

Essa fase pode ser estendida até que a pessoa sinta uma melhora nos sintomas, o que pode acontecer entre 30 e 90 dias, ou em alguns casos, em apenas 3 semanas. Dependendo de organismo para organismo.

O objetivo desta fase é o de identificar quais alimentos contribuem para os sintomas. E reintroduzir todos os alimentos que não causam sintomas, continuando a evitar aqueles que causam.

Fase de reintrodução

Após a melhora dos sintomas, você começa a fase de reintrodução dos alimentos eliminados.

Durante esta fase, os alimentos devem ser reintroduzidos um de cada vez, permitindo um período de 5 a 7 dias de intervalo entre outro alimento. Isso para haver tempo de perceber se algum dos seus sintomas reaparece, com a reintrodução desse alimento, antes de continuar o processo de reintrodução de outros.

Na Dieta AIP, você deve escolher o momento mais adequado para reintroduzir os alimentos eliminados. Tendo o cuidado de o fazer em circunstâncias que não causem inflamação, como depois de uma noite mal dormida ou de um dia de muito estresse. Desta forma, espere o momento mais adequado para o fazer, quando você estiver bem.

Comece pelos alimentos que contenham menos substâncias que causam desconforto, como por exemplo, os laticínios. Ao invés de reintroduzir logo o leite (caso você beba), comece pelo iogurte.

Escolha o alimento e dia mais propício

Passos para a Reintrodução de alimentos:

  1. Escolha o dia e o alimento.
  2. Consuma uma pequena quantidade do alimento e espere cerca de 15 minutos para verificar as reações.
  3. Diante de algum sintoma, pare de imediato de o consumir. Se isso não acontecer, continue a consumí-lo e a observar os efeitos durante 2 a 3 horas, após o comer.
  4. Não havendo sintomas, você pode comer uma porção normal desse mesmo alimento. Em seguida, evite a introdução de um novo alimento por 5 ou 6 dias.
  5. Repita o procedimento.

O que pode e o que não pode na Dieta AIP

Sempre ao iniciar qualquer dieta ou alteração na sua alimentação, consulte um médico especialista antes. E principalmente para a Dieta AIP, visto ser bastante restritiva.

Alimentos a evitar

  • Solanáceos, como tomate, batata, pimentão e berinjela
  • Grãos (arroz, trigo, aveia, cevada, centeio e derivados)
  • Leguminosas
  • Laticínios
  • Óleos vegetais (exceto os mencionados abaixo)
  • Café
  • Ovos
  • Oleaginosas e sementes
  • Álcool
  • Aditivos alimentares, como açúcares refinados e gorduras trans.
Consuma Kombucha e outros probióticos

Alimentos permitidos

  • Alimentos fermentados e probióticos (kombucha, kimchi, chucrute, picles e kefir de coco).
  • Vegetais variados, com exceção dos solanáceos e algas.
  • Peixes e frutos do mar frescos e com qualidade. de preferência com alto teor de ômega 3.
  • Frutas frescas, em pequenas quantidades.
  • Adoçantes naturais, como mel, em pequenas quantidades
  • Carnes orgânicas. (se você comer)
  • Azeite de oliva, coco ou abacate.
  • Ervas e especiarias que não são derivadas de sementes.
  • Caldo de ossos.
  • Chá verde e chá preto.

Dê preferência a alimentos pouco processados e mais naturais.

Existem diferentes Protocolos AIP. Alguns permitem certos alimentos e outros não. Aqui mencionamos o protocolo mais usual.

Além disso, estudos ainda estão sendo feitos sobre a relação da alimentação e do intestino permeável com as doenças autoimunes. No entanto, revelam uma melhora significativa nos sintomas após o uso da Dieta AIP.

Se você já experimentou esta dieta, compartilhe nos comentários a sua experiência.

Nota: Esta informação não dispensa a consulta de um medico especialista.

Fonte de referência: Health Line

Fotos: Unsplash

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s